Metodologias e conceitos de pesquisa


No mercado de pesquisas existem duas grandes  "chaves": 

Pesquisas Quantitativas e as pesquisas Qualitativas.

Cada uma delas possui diversas variações, dependendo de cada estudo (ad hoc) e de cada finalidade.

Não raro, são usadas as conjunções de ambas para obter as RESPOSTAS sobre um assunto.

 

PESQUISAS QUANTITATIVAS:

Resumidamente são as que usam um questionário estruturado para coletar as informações, aplicados numa amostra. 

A pesquisa quantitativa é um estudo estatístico que se destina a descrever as características de uma determinada situação, medindo numericamente as hipóteses levantadas a respeito de um problema de pesquisa.

Este tipo de pesquisa visa confirmar se os dados mensuráveis obtidos numa amostra são estatisticamente válidos para o universo do qual a amostra foi retirada.


Existe um grande número de variações de tipos de quantitativas ou de amostragens:

censitárias  -  onde todos ou o maior número de indivíduos devem ser pesquisados

probabilística - onde todos os elementos do conjunto, possuem a mesma chance de serem
  entrevistados

- amostragens intencionais - por exemplo, só entrevistando as mulheres.

 

CONCEITOS QUE ENVOLVEM AS PESQUISAS QUANTITATIVAS 

População

Em termos estatísticos, define-se população - ou "universo" de dados - como sendo o conjunto dos elementos que tem alguma característica em comum que possa ser contada, medida, pesada ou ordenada de algum modo e que sirva de base para as propriedades a serem investigadas.

 

Amostra

A amostra, por sua vez, é um subconjunto - representativo ou não - da população em estudo. Essa representatividade da amostra, que é uma propriedade altamente desejada em estatística, ocorre quando ela apresenta as mesmas características gerais da população da qual foi extraída.

Utilizando outras palavras, como fazemos para medir a potabilidade da água de um lago (universo)? Temos que coletar e analisar toda a água do lago? A resposta é não!!!

A coleta e análise de toda a água do lago levaria muito tempo, resultando, dentre outros fatores, a demanda de muito trabalho e consequentemente um alto custo para sua realização.

A solução para medir se a água deste lago é potável ou não está inserida no conceito de amostragem.

Para isto, devemos coletar amostras de água de diferentes lugares do lago, em diversas profundidades, para que possamos concluir se sua água é potável ou não.

 

ALGUNS TIPOS USUAIS DE AMOSTRAGENS

Amostragens Probabilísticas:

  • Amostragem Aleatória - É o procedimento básico da amostragem científica. Consiste em atribuir a cada elemento da população um número único para depois selecionar alguns destes elementos de forma casual, para garantir que esta escolha seja mesmo casual, pode-se utilizar por exemplos tábuas de números aleatórios.
  • Amostragem Sistemática - É uma variação da amostragem aleatória. Sua aplicação requer que a população seja ordenada de modo tal que cada um de seus elementos possa ser identificado pela sua posição. Apresentam condições para satisfação desse requisito uma população identificada a partir de uma listagem de clientes por exemplo.
  • Amostragem Estratificada - Caracteriza-se pela seleção de uma amostra de cada subgrupo da população considerada, por exemplo: sexo, idade, classe social, etc. Este tipo de amostragem tem como principal vantagem o fato de assegurar a representatividade do universo a ser pesquisado.
  • Amostragem por Conglomerado - A amostragem por conglomerado é indicada em situações em que é bastante difícil a identificação de seus elementos. É o caso por exemplo cuja população seja constituída por todos os habitantes de uma cidade. Em caso deste tipo é possível proceder a seleção da amostra a partir de conglomerados, isto é, quarteirões, casas, famílias...
  • Amostragem por Etapas - Pouco utilizado em pesquisa de mercado porque a adoção desta modalidade pressupõe uma homogeneidade das unidades, o que nem sempre ocorre na realidade. Pode ser utilizada quando a população se compõe de unidades distribuídas em diversos estágios. Por exemplo se vamos pesquisar a população de um país: selecionamos primeiro a população de Estados, Cidades ... sucessivamente até chegar nas pessoas a serem entrevistadas.

Amostragens não probabilísticas:

  • Amostragem por Acessibilidade - Constitui o menos rigoroso de todos os tipos de amostragem, por isto mesmo é destituída de qualquer rigor estatístico. O pesquisador seleciona os elementos para compor a amostra. Aplica-se este tipo de amostragem em estudos exploratórios ou qualitativos onde não é requerido elevado nível de precisão.
  • Amostragem por Tipicidade - Constituí-se em selecionar um subgrupo da população que com base nas informações disponíveis possa ser representativo de toda a população. A principal vantagem é o baixo custo de sua seleção, entretanto requer considerável conhecimento da população e do subgrupo selecionado o que pode comprometer a representatividade da amostra.
  • Amostragem por cotas - Amplamente utilizada em pesquisa social e de mercado, este procedimento é usualmente aplicado em levantamentos de mercado e em prévias eleitorais. Tem como principal vantagem o baixo custo e o fato de conferir alguma estratificação à amostra. Dentre as amostragens não probabilística é a que apresenta maior rigor estatístico. Consiste em classificar a população em função das propriedades relevantes para o estudo, determinar a proporção da população a ser pesquisada e determinar uma cota a cada pesquisador.

Censo e Amostragem

O estudo de uma população pode tomar por base todos os seus elementos ou apenas uma parte deles. Fala-se em censo quando todos os elementos são considerados e em amostragem quando a análise é realizada com base numa parte (representativa) da população.

A utilização de uma ou outra forma depende, entre outros, da qualidade desejada e dos recursos disponíveis. Na prática, a amostragem é muito mais útil que o censo em análises de grandes populações. Nesses casos, em grandes populações, os resultados podem demorar tanto que, no momento de sua divulgação, não correspondam mais à população que os originou.

 

Formas de Estimativas

  • Pontuais

    Fornecem um único valor para o parâmetro populacional em estudo (p. ex. média).
  • Intervalares

    Fornecem um intervalo de valores possíveis de serem assumidos pelo parâmetro em questão, bem como a probabilidade dela estar correta. O centro do intervalo é a estimativa pontual. A principal característica da estimativa intervalar é que sua probabilidade de acerto é diretamente proporcional ao tamanho do intervalo onde se espera encontrar o parâmetro. Por outro lado, a significância da estimativa é inversamente proporcional a esse mesmo intervalo. O aumento do intervalo tem a vantagem de aumentar a chance de acerto da estimativa e a desvantagem de torná-la menos significativa.
  • Intervalo de Confiança

    Nível de significância devido à variabilidade amostral dos estimadores estatísticos, as estimativas pontuais quase sempre diferem dos verdadeiros parâmetros populacionais. Desse fato decorre a necessidade de construção de intervalos ao redor das estimativas pontuais, que são determinados - em unidades reais ou relativas - com base nas probabilidades dos intervalos em questão conterem os parâmetros populacionais procurados. Esses intervalos são conhecidos como intervalos de confiança.
  • Nível de Significância

    O nível de significância é igual ao complemento de seu grau de confiança. Se chamarmos por A o grau de confiança do intervalo, seu nível de significância estará dado por 1 - A. Ex.: O nível de significância de um intervalo cujo grau de confiança é A = 95% é 1 - A = 1 - 0,95 = 0,05 = 5%.
  • Distribuições Adequadas

    Para grandes amostras (uma amostra com mais de 30 elementos), ou se a população tem distribuição normal (ou aproximadamente normal), podemos assegurar que o parâmetro procurado tem probabilidade dada pela distribuição normal. Para pequenas amostras quando o número de elementos da amostra é menor que 30 costuma-se usar a distribuição " t de Student " ao invés da distribuição normal.

 

  • Pesquisas Qualitativas (exploratórias) ou DG´s ou Focus Groups como também são conhecidas.
  • Existem também na forma de entrevistas de profundidade.
  • A pesquisa qualitativa é um estudo não estatístico que identifica e analisa profundamente dados não-mensuráveis, como sentimentos, sensações, percepções, pensamentos, intenções, comportamentos passados, entendimento de razões, significados e motivações de um determinado grupo de indivíduos em relação a um problema específico, que poderia ser resumido em: "um estudo do que fica oculto"

 

Muito complicado? Por isto estamos aqui! Consulte-nos e encontraremos a melhor metodologia para suas perguntas, questionamentos, problemas.

Afinal estas ferramentas são para nos auxiliar, e não para prejudicar ou confundir.

Além dos profissionais que trabalham direta e constantemente na ProPesquisa, temos um conjunto de consultores associados, que poderão ajudar a resolver até os problemas mais intrincados e complexos.




Voltar

Página Principal